sábado, 20 de abril de 2013

Em busca da felicidade

Publicado na Revista Rainha dos Apóstolos, ano 90, maio de 2013.

Todos temos um desejo na vida. Muitos desejam enriquecer, ter um bom emprego, ter sucesso, outros querem ter um corpo ideal e para isso procuram malhar e malhar, até a exaustão para atingir o seu intento. Tudo isso com o intuito de ser feliz e de poder ficar bem consigo mesmo. Aliás, ser feliz é o desejo de todos, mas nem todos conseguem descobrir onde realmente está ou pode encontrar a felicidade. Antes de tudo a felicidade é um trabalho interior.
Esta busca frenética pela felicidade, sem levar em conta certos princípios, está deixando a sociedade cada vez mais vazia, tanto que, no Brasil, o índice de suicídios cresceu de 1980 a 2000 (1.900%), segundo a “Folha de São Paulo”. E perguntamos, por quê?
Para mim, não são as coisas físicas ou materiais que enobrecem o ser humano, mas as coisas espirituais, até porque tudo neste mundo passa. Aquilo que é material tem validade, inclusive nossa vida. Ninguém conseguirá manter-se jovem e com os mesmos padrões de beleza até o seu último dia de vida. O nosso corpo está em contínuo movimento, mas aquilo que externamente não parece ser mais tão belo, internamente, quando se cultivam bons princípios, inclusive espirituais, jamais envelhece e adquire uma outra beleza, a sabedoria e a harmonia interior, pois a beleza se constrói a partir de dentro. Assim afirma o salmista: “Só em Deus a minha alma encontra repouso” (Sl 62,2-3).
Quem encontrou o sentido para vida, a partir de Deus, torna-se como uma árvore à beira do riacho, está sempre viçosa, porque está diante da fonte da vida. Talvez o que entedia tanta gente, apesar de procurar realizar seus sonhos a qualquer preço, é o fato de usufruir apenas das coisas da terra, sem regar com as coisas do céu.
Portanto, criar um estilo de vida “light”, sem compromisso, é caminhar em direção a um abismo. A sociedade moderna vive sob os pilares da plena liberdade. A pessoa é livre para fazer quase tudo e não tem medo de reivindicar seus direitos, por isso vemos tantas marchas de pessoas que querem impor o seu estilo de vida e modo de ser, e se alguém disser o contrário sofre duras críticas, porque cada um deve viver, ao extremo, a sua liberdade, mesmo que fira a do outro. Diante desse comportamento, encontramos pessoas cada vez mais infelizes e se distanciando da verdadeira missão pela qual estamos aqui nesse mundo, para sermos felizes, mas em sintonia com aquele que nos criou. Fora isso, teremos apenas discursos e pessoas mendigando por felicidade em coisas transitórias. Tudo isso gera uma espiral de insatisfação e, a cada dia, buscam por novidades que preencham seu ser, porque sem elas seria insuportável viver, ao passo que aquele que descobriu a verdadeira beleza que brota do coração, do amor de Deus, atravessa tormentas e desafios, em paz e com um largo sorriso no rosto, porque nele é expresso o amor de Deus.

Pe. Valdeci Antonio de Almeida, SAC

2 comentários:

  1. Muito bom o texto padre. Como sempre todos os seus textos, são simplesmente maravilhosos e sentimento a sua autoridade ao falar com força a cada um de nós seus leitores.
    Deus continue te dando força e coragem na missão.
    Shalom

    ResponderExcluir
  2. Que Deus o ilumine em sua caminhada Felipe. Abraço.

    ResponderExcluir